TELEVENDAS (11) 3337-0899

|

LOJA

|

BLOG

ENTREGAS PARA TODA SÃO PAULO

ENTRE OU CADASTRE-SE


Pêra Manca (2013) - 750ml


  • Categoria: Vinhos Finos de Mesa
  • Produtor: Fundação Eugénio de Almeida
  • Enólogo: Pedro Baptista
  • Teor Alcoólico: 14,5%
  • Casta: Trincadeira e Aragonez
  • Cor: Granada viva e densa
  • Aroma: Intenso e complexo, com amora silvestre e framboesa, notas balsâmicas, pinho e resina, chocolate branco e tília

Produtos Similares

Descrição

História do Pêra Manca

Pêra-Manca é a marca que a Fundação Eugénio de Almeida dedica aos seus vinhos de excepção. A sua qualidade é sobejamente conhecida, sendo um vinho de referência no mercado português e também nos mercados internacionais.

De acordo com a tradição, o nome de Pêra-Manca deriva do toponímico “pedra manca” ou “pedra oscilante” – uma formação granítica de blocos arredondados, em desequilíbrio sobre rocha firme. 

Reza a história que a tradição do vinho Pêra-Manca remonta à Idade Média. Reza também a história que por volta de 1365, Nossa Senhora terá aparecido em cima de um espinheiro a um pastor. Alguns anos depois, foi edificado um oratório em sua honra e em 1458, dada a crescente importância do local como ponto de peregrinação, uma igreja. A posterior fundação de um Convento, que viria albergar a Ordem de S. Jerónimo seguiu-se-lhe. E, nos séculos XV e XVI, os vinhedos de Pêra-Manca eram propriedade dos frades do Convento do Espinheiro. 

Em 1517, os frades do Convento do Espinheiro foram obrigados a arrendar esses vinhedos – por ser muito dispendioso o seu trato – a Álvaro Azedo, escudeiro do Rei e a sua mulher, Filipa Rodrigues. Deles, fala D. João II, numa carta à Câmara de Évora. 

A fama do Pêra-Manca permitiu que acompanhasse muitas naus da Índia no tempo dos Descobrimento. Foi ainda este o vinho que Pedro Álvares Cabral transportou em suas naus quando chegou ao Brasil. 

Foi recuperado no século XIX pela próspera Casa Soares, propriedade do Conselheiro José António d'Oliveira Soares, que o transformou num vinho sofisticado. Contudo, na sequência da crise filoxérica, a Casa Soares deixou de produzir o Pêra-Manca. Foi o herdeiro da extinta Casa Soares, José António de Oliveira Soares, quem, no ano de 1987, ofereceu o nome à Fundação Eugénio de Almeida, que passou a utilizar como rótulo a adaptação de um cartaz publicitário desenhado por Roque Gameiro.

Avaliações dos Clientes



Escolha por região


África do Sul

Alemanha

Argentina

Austrália

Brasil

Chile

Espanha

Estados Unidos

França

Itália

Portugal

Uruguai



Cadastre-se na nossa Newsletter

Receba nossas promoções e novidades

Nossa missão é ser a melhor loja de bebidas, com os melhores produtos, serviços e atendimento a seus clientes.

Proporcionar a seus colaboradores o melhor ambiente de trabalho, crescimento profissional e pessoal, através da gestão participativa, buscando assim o crescimento de cada um, e com isso o crescimento do negócio.

Saiba mais

Proibida a venda de bebidas alcóolicas para menores de 18 anos. Aprecie com moderação. Se beber, não dirija.

Visual e-commerce